Por quê adotar um cão adulto Vira-Lata??

Posted in Uncategorized por asacatanduva em 19 outubro, 2009

VIVI 060

Por que adotar um cão adulto?

A nítida preferência por filhotes é observada na hora em que uma pessoa decide adotar um animal. As pessoas se esquecem da trabalhosa fase de crescimento, diante de uma linda bolinha peluda.
Mas adotar um cão adulto tem grandes vantagens. O trabalho é muito menor, pois ele passará por apenas um curto período de adaptação à nova casa.
O animal que vem da rua ou de um abrigo tem muita gratidão pelas pessosas que o recebem em seus lares e demonstram essa gratidão claramente, tornando-se, em pouco tempo, um amigo fiel, obediente e carinhoso. Será um guardião como poucos, defendendo com a própria vida seu novo lar e as pessoas que o acolheram.

E por que um viralata?

 Além de forte e saudável, pois a mistura de raças fortalece esse tipo de animal, nada fica a dever aos de raça pura. São sensíveis, amigos, alegres e sociáveis.
Os menores são ótimos para companhia e os maiores são excelentes guardiões, podendo ser adestrados, pois são inteligentes e aprendem com facilidade. Por não terem pedigree sofrem injustiças e quase não tem valor de mercado. Não correspondem à vaidade das pessoas que gostam de ostentar um cão “raçudo”.

Independente de qualquer consideração, um vira-lata é presença constante em nossas vidas. Muitos são companhia de pessoas infortunadas que vivem pelas ruas e outros moram em lares afetuosos, tratados com a dignidade que todo cão merece.

Cães adultos disponíveis para adoção 3524-5627 Luciano

Anúncios

Não ao PL 4548/98

Posted in Uncategorized por asacatanduva em 6 outubro, 2009

PL_4

 

Está tramitando do congresso apensado ao PL 3981/00 o PL 4548/98, que exclui animais domésticos e domesticados do artigo 32 da lei 9065/98. Foi aprovado por unanimidade pela Comissão de Justiça e Cidadania no dia 02/04 e o prazo para apresentação de recurso com 5 sessões ordinárias iniciou no dia 24/04.

Para quem não sabe se este projeto de lei for aprovado os animais domésticos e domesticados vão ser excluídos do artigo 32 da lei 9605/98, assim maus-tratos contra esses animais não serão mais crime.

Os interesses ligados a este projeto de lei são puramente econômicos, pois querem que os rodeios, vaquejadas, farra do boi, etc sejam atividades perfeitamente legais, alegando que são importantes “manifestações culturais e econômicas” do nosso país.

Peço a todos que não se calem, que mandem emails, que divulguem que mostrem que nós nos importamos com a vida!

 

Assine a Petição Online você também e ajude a continuar a luta pelo bem estar animal:
http://www.petitiononline.com/artigo32/petition.html

E TAMBÉM LIGUEM PARA A CÂMARA – 0800-619619 …

FALEM QUE SÃO CONTRA O PL 4548/98 DO EX-DEPUTADO JOSÉ THOMAZ NONÔ, QUE EXCLUI OS ANIMAIS DOMÉSTICOS E DOMESTICADOS DO ARTIGO 32 DA LEI 9605/98 DE CRIMES AMBIENTAIS.

CASO O ATENDENTE DIGA QUE O PL 4548/98 ESTÁ ARQUIVADO, DIGA-LHE QUE ELE ESTÁ APENSADO AO PL 3981/2000.

 

Procedimento:  Ao ligar, teclar opção 1 para falar com a atendente que lhe pedirá nome completo e endereço. Depois lhe dará opções para seu protesto ser encaminhado.   Uma delas é para os deputados de 3 estados (“quantidade” de
 parlamentares)e a outra será de lideres dos partidos (ao total 21 –  “qualidade”) .

A LIGAÇÃO É GRATUITA , VOCÊ PERDERÁ ALGUNS MINUTOS E ESTARÁ AJUDANDO TODOS OS  ANIMAIS DOMÉSTICOS E DOMESTICADOS QUE PODERÃO SER MALTRATADOS E  TORTURADOS E OS RESPONSÁVEIS NÃO PODERÃO SER MAIS RESPONSABILIZADOS OU  SOFRER QUALQUER PUNIÇÃO.

 

OS ANIMAIS CONTAM COM A SUA AJUDA!!!!

PARA DOAÇÃO

Posted in Uncategorized por asacatanduva em 5 outubro, 2009

ALGUNS DOS 68 ANIMAIS DISPONÍVEIS

Esses animais, precisam urgentemente de um novo lar, a senhora que os retirou das ruas, infelizmente faleceu, ela mantia em sua residência cerca de 80 cães, durante sua vida pode acolher mais de 700 cachorros de rua, não há ninguém que possa continuar esse trabalho tão nobre feito por ela ; hoje há um total de 68 cães de raças e tamanhos diferentes, todos esperando para serem adotados, entre todos eles um concerteza irá lhe agradar. Eles necessitam e esperam por sua ajuda, seja na adoção ou na doação de ração. O contato é através do número 3524-5627 Luciano.

 

“Olhe no fundo dos olhos de um animal e, por um momento, troque de lugar com ele. A vida dele se tornará tão preciosa quanto a sua e você se tornará tão vulnerável quanto ele. Agora sorria, se você acredita que todos os animais merecem nosso respeito e nossa proteção, pois em determinado ponto eles são nós e nós somos eles.” (Philip Ochoa)

Membros da ASA participam de Palestra com Deputado Feliciano Filho(PV).

Posted in Uncategorized por asacatanduva em 30 setembro, 2009

palestra feliciano filho

O deputado estadual Feliciano Filho (PV ) esteve na cidade  de Catanduva para proferir palestra na Sede da Subsecção Catanduva da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Com o título de “A nova era da proteção animal”, Feliciano falou por mais de três horas para, aproximadamente, 100 pessoas que compareceram ao evento.

Organizada pelo coordenador da Comissão de Meio Ambiente e de Defesa dos Animais da regional da OAB, Davis Quinelato, o evento contou com a presença de representantes de vereadores, da secretaria de Meio Ambiente, ONG´s e protetores de animais de várias cidades da região. “A palestra do deputado Feliciano Filho nesta noite aqui em Catanduva foi muito enriquecedora para os ativistas da proteção animal, por isso pensamos em trazê-lo mais vezes à nossa região”, comenta Davis Quinelato.

Após a palestra e responder às perguntas dos presentes, o deputado estadual foi homenageado com uma placa de boas vindas, um diploma e uma camiseta pela ASA-Catanduva. “Estou muito feliz por ter vindo a Catanduva e pela acolhida que tive por parte dos protetores”, conclui Feliciano Filho.

Para conhecer mais sobre o trabalho de Feliciano acesse: http://www.programaplanetabicho.com.br

Centro de Zoonoses dispõe de animais para adoção.

Posted in Uncategorized por asacatanduva em 26 agosto, 2009
Foto: Augusto Pires

Foto: Augusto Pires

O Centro de Controle de Zoonoses de Catanduva possui 148 animais dentre eles cães e gatos que esperam por adoção .

A pessoa que pretende adotar deve ter a consciência de que o animal de estimação cresce e que pode dar cria e há o custo com a ração. Por isso a importancia da castração e posse responsável.

O Centro de Zoonoses controla os animais que foram adotados por meio de chip com identificação eletrônica. Com o chip é possível verificar quem adotou o animal, caso ele seja abandonado.

Para adotar animal de estimação, a pessoa deverá dirigir-se até o centro de Zoonoses, mediante RG e comprovante de residência, escolher o bicho em seguida assinar termo de posse responsável e levar para casa, desde que não haja dez animais por residência. A adoção não tem custo. Mais informações pelo telefone 3524-2445.

O Centro de Zoonoses está localizado no KM 1 da Rodovia Vicente Sanches.Estrada que liga Catanduva a Catiguá, sentido Usina São Domingos.

Agradecimento

Posted in Uncategorized por asacatanduva em 20 agosto, 2009

A ASA(Associação Solidária aos Animais) em Catanduva/SP, vem a público agradecer o importante apoio que vem recebendo dos seguintes colaboradores:

*Revista Maxxis e Casa do Chacareiro

*Sombra e Agua Fresca – Rua Brasil, n° 1482
*Força Animal – Av. Maranguape, n° 682
*Pet Shop 1001 Patas – Rua Pernambuco, n° 1226
*Casa de Ração Coelho – Rua 15 de Novembro, n° 714
*Agitacão do Jader – Rua 15 de Novembro,n°1120
*Minas Ração – Rua Minas Gerais, n° 1200
*Nutrivet – Rua Manaus,n° 331.

virtude

Cães sabem contar, entendem mais de 150 palavras e são capazes de resolver problemas complexos

Posted in Uncategorized por asacatanduva em 8 agosto, 2009

olhar

Uma pesquisa afirma que alguns cachorros têm a capacidade de contar até cinco, entendem mais de 150 palavras e inclusive tentam enganar os homens para conseguir uma vantagem. Estas são as conclusões do psicólogo e especialista em investigação canina Stanley Coren, da Universidade British Columbia, que participa do congresso anual da Associação Psicológica Americana para falar de “como os cachorros pensam”.

Coren, autor de livros sobre cachorros e seu comportamento, revisou vários estudos para concluir que o melhor amigo do homem tem capacidade de resolver problemas complexos e é mais parecido com os humanos e outros grandes primatas do que se pensava.

Dados de 208 cachorros dos Estados Unidos e Canadá mostraram que na “inteligência de trabalho e obediência” o Border Collie é “o número um”, seguido do Poodle e em terceiro pelo Pastor alemão.

A lista dos cães mais espertos se completa com o Golden Retriever; o Doberman; o Pastor de Shetland e o Labrador, segundo a classificação de Coren.

Os cães também conhecem números, e podem “contar” até quatro ou cinco, e só têm uma “compreensão básica” da aritmética, embora sejam capazes de detectar erros como 1+1=1 ou 1+1=3.

Durante o jogo, os cachorros são capazes de tentar enganar, de maneira deliberada, tanto outros cães como os humanos para conseguir uma recompensa e, segundo Coren, “têm quase tanto êxito enganando humanos como os humanos enganando cachorros”.

Fonte: http://www.anda.jor.br

Animais e Crianças

Posted in Uncategorized por asacatanduva em 16 abril, 2009

 

img_00021img_0003img_0006Convivendo com os animais desde cedo

Seu filho pede insistentemente um animalzinho de estimação e você tem dúvidas se atente ao pedido. Quer uma dica? Saiba que um animal de estimação ajudará no desenvolvimento emocional e social da criança.

Com um animal de estimação, o pequeno da família não mais terá poder total como tinha com seus brinquedos. Para cada atitude dela, o animal de estimação terá uma reação, atuando diretamente no processo de socialização da criança.

Um animal necessita de cuidados e a criança precisa ter responsabilidade sobre eles. Essa responsabilidade depende da idade do menino ou menina e deverá ser orientada e estimulada por um adulto.

Crianças pequenas ainda não sabem distinguir o seu bichinho de pelúcia do animalzinho de estimação e podem machucá-lo ao apertar demais, jogar para o alto ou mesmo bater para recriminar algo que o animalzinho tenha feito. Essa relação pode causar danos físicos ao animal e à criança (o gato pode arranhar ou o cachorro morder ao reagir a uma “agressão”).

Nessa situação, o adulto tem que estar sempre muito atento, procurando conversar com as crianças sobre como lidar com o animalzinho, do que ele gosta e o que pode machucá-lo.

A criança pode ficar encarregada, com ajuda do adulto, de limpar o ambiente do seu animalzinho, dar comida e fazer carinho.

Com crianças acima de 5 anos, os cuidados com seus animaizinhos podem aumentar. O filho já pode levar o bicho de estimação para passear, dar banho e até aprender alguns comandos de adestramento. Existem cursos de adestramento para o público infantil.

Aprendendo com os animais – A responsabilidade que a criança terá ao cuidar do seu animalzinho desenvolve a autonomia, afetividade e os mais diversos sentimentos como alegria, frustração e respeito.

Atenção para que os cuidados de relacionamento com o animal de estimação não se tornem uma obrigação para a criança. Ela deve estar consciente de que os animais precisam de respeito e carinho, assim como qualquer relacionamento.

O convívio com o animal de estimação influenciará nas relações futuras com os amiguinhos. A criança que convive com animais de estimação é mais afetuosa, sociável, justa e não é individualista.

Além do contato com os sentimentos que precisará para lidar com outras pessoas, o animal pode trazer a experiência com a perda. A criança aprenderá sobre o ciclo da vida, desde o nascimento até a morte e o quanto isso é natural.

Mamãe – Agora o recado é para as mamães que ficam preocupadas quanto ao risco de alergias. Estudos mostram que crianças que convivem nos primeiros anos de vida com animais de estimação estão menos propensas a desenvolver alergia, pois o seu sistema imunológico já está “acostumado” com os agentes alergênicos encontrados nos animais.

Já o sistema imunológico de crianças que cresceram sem contato com animais não reconhece os agentes alergênicos provocando reações. Não esqueça de levar o animalzinho ao veterinário sempre para que receba os cuidados necessários e evitar doenças, sempre acompanhado de seu filho para que também escute as orientações do doutor criando assim mais responsabilidade.

Cuidados com os bichinhos – antes de escolher um bichinho, consulte um veterinário para que este auxilie na escolha de acordo com sua possibilidades, como ambiente onde o bichinho irá viver, espaço que necessitará, necessidade de passeios, etc. Além disso, ele lhe orientará quanto às questões de saúde e prevenção de doenças do seu animalzinho, especialmente quanto às zoonoses (doenças que são transmitidas dos animais para o ser humano). No caso, de crianças convivendo com animais isto é muito importante, pois elas estão sempre levando a mão à boca, e o risco de contrair algum tipo de zoonose é maior.

 Seja qual for o animal escolhido, o segredo da boa convivência é ensinar às crianças, com muita paciência e clareza, essas “pequenas” responsabilidades, atentando ao fato de que estas não devem ser vistas apenas como obrigações, mas, muito mais, como parte do relacionamento entre a criança e seu animalzinho. Essa atitude possibilita que a criança desenvolva a noção de ética e respeito por aqueles que dependem dela, além de evitar os famosos tumultos familiares causados pela falta de responsabilidade das crianças em relação a esses bichinhos.

Assim, pais que vivenciam o conflito entre ter ou não um bichinho de estimação dentro de casa devem pensar que, quando a criança recebe a educação necessária sobre as próprias responsabilidades, esses animais podem se tornar excelentes companheiros e auxiliadores do desenvolvimento infantil.

 

 

 

 

 

 

 

Carta de um cão ao seu dono…

Posted in Uncategorized por asacatanduva em 25 janeiro, 2009

atgaaackttetpjxa7-svimcksz6vevgffcqd7rteji_vgggzuzgrvztfveh_5emvtl4foe6yckx1h1ypfdqvjpfada0qajtu9vcx2dznvtx9kjbdrxpcfw-qi1ydhq

Olá,

 

Eu sou aquele que sempre lhe espera. O seu carro tem um som especial, e eu posso reconhecê-lo entre mil. Os seus passos têm um timbre de magia, eles são música pra mim. A sua voz é o sinal maior do meu momento feliz e às vezes você nem precisa falar nada.

 

Quando sinto sua tristeza, eu tento te fazer sorrir. Se vejo que está alegre, como isso me faz feliz! Eu não sei o qual é o melhor aroma no ar. Só sei que o seu perfume é o melhor. De algumas presenças eu gosto, de outras não. Mas a sua presença é a que movimenta os meus sentidos.

 

O seu olhar é um raio de luz quando percebo o seu despertar. As suas mãos sobre mim têm a leveza da paz. E quando você sai, tudo é vazio outra vez. E eu volto a te esperar sempre e sempre. Até você chegar novamente.

 

Esperar pelo som do seu carro... Pelos seus passos... Pela sua voz... Pelo seu cheiro... Pelo seu repouso sob minha vigília à noite... Pelo seu olhar... Pelas suas mãos fazendo carinho em mim. Eu sou aquele que te espera... Eu sou seu cão! E sou feliz por ser assim!

 

Nunca lhe pedi para me deixar bonito, nem para me adestrar... Também não lhe peço bons alimentos ou me levar no veterinário, nem isso nem coisa alguma... Se não tiver uma correia bonita, pode me colocar num laço ou deixa-me solto... Prometo que não vou embora... Se não puderes me comprar uma casinha, me conformo com um trapinho no chão... Aonde quer que você me colocar, eu sempre vou te proteger.

 

Não me corte o rabinho, nem me afine as orelhas. Prometo que serei fiel quando tiver que te defender...  Se eu destruir algo, desculpa-me, é que não sei o que faço quando estou brincando com as suas coisas, não conheço o valor dos seus objetos e não estrago por má intenção... O que lhe peço é um carinho de vez em quando em mim, e um pedacinho de pão, o demais, me dê apenas se for de sua vontade.

 

Se eu soubesse falar, quantas palavras bonitas eu diria a você... Se você soubesse como fico feliz quando passeio contigo, mesmo que você não perceba, eu fico muito feliz!

 

E se já estou velho, e lhe dei meus melhores anos, não me deixe na rua... E, se lhe causei algum dano, com esta lágrima que vê brotar de meus olhos, peço-lhe perdão...

 

Sim, eu sou um animal, sou um cachorro criado por Deus, porém também os cachorros sentimos e temos coração... Chegará o dia, em que partirei dessa vida, e quero que saiba que lá no céu dos cães, eu sempre serei grato por tudo o que você fez por mim, e principalmente pelos anos que passamos juntos...

 

Com carinho,

Cãozinho.

   

Autoria Desconhecida

Animal adulto

Posted in Uncategorized por asacatanduva em 25 janeiro, 2009
POR QUE ADOTAR UM ANIMAL ADULTO?
por Nina Hinerich

A gratidão dos animais adultos, quando adotados por pessoas que lhes dêem amor, é muito grande, além disso, os animais adultos já têm maturidade e tentam compreender o ambiente ao redor com o intuito de agradar àqueles que o acolheram.
Quando um animal adulto é acolhido ele pode revelar faces de sua personalidade que até então mantinha oculta. Como uma alegria antes nunca demonstrada por ele.
Contrariando o pensamento de muitas pessoas, animais adultos se adaptam a novos lares tão bem quanto os filhotes. E ainda tornam-se companheiros, fieis, carinhosos, amigos e gratos por receberem, abrigo, alimentação, atenção e amor.Quando você adota um animal adulto já sabe o seu tamanho, temperamento, personalidade. Ao contrário do filhote que é pequenino, travesso, sempre pulando, correndo, fazendo arte, escalando cortinas…Porém ele vai crescer bem mais depressa do que você supunha, então ele começará gradativamente a se tornar diferente daquilo que você pensava (sim, porque acabamos imaginando que uma vez filhote sempre será filhote, mas ele vai crescer, se tornar adulto, mudar alguns hábitos…).
É uma grande ilusão achar que adotando um filhote você o “moldará” à sua maneira, não: eles formarão sua própria personalidade e você pode se decepcionar quando perceber que aquela bolinha peluda que escalava suas pernas no seu colo agora só aceita colo quando ele sente vontade.
A adaptação de um filhote e de um animal adulto é praticamente igual.
No primeiro dia ele precisará saber onde vai fazer suas necessidades fisiológicas, onde vai comer, tomar água e dormir – isso ele aprende de imediato, cabe aqui ressaltar que a comida, água e cama, não devem ficar próximas à sua caixa de areia.
Nos primeiros dias ele (tanto o filhote quanto o animal adulto) estranhará o novo ambiente, poderá mostrar-se receoso, tímido, inseguro, ansioso, miando ou latindo muito. Você e sua família deverão ser pacientes e tratarem o recém-chegado com muito amor e carinho.
Se houver crianças no novo lar do animal elas deverão ser orientadas para diminuírem o ritmo das correrias e gritarias em suas brincadeiras, pois isso certamente assustará muito o animal que ainda não conhece a rotina da casa, pois será aos poucos que ele se acostumará a sua nova morada.
Próxima Página »